Santa Gianna Beretta, uma mãe que viveu pela fé

 

Quando pensamos na santidade, muitas vezes nos parece que ela é incompatível com a vida comum, com a vida que milhões de homens e mulheres vivem no dia a dia, de rotina, afazeres domésticos e cuidados com a família. Num primeiro momento pode parecer que uma vida santa é apenas para aqueles que vivem retirados do mundo, nos mosteiros e clausuras.

Contudo não é bem assim e para mostrar isso apresentamos o exemplo da grande Santa Gianna Beretta, que foi mãe, santa e em nenhum momento se afastou de sua vida ordinária.

 

A História de Santa Gianna

Gianna nasceu em Magenta, (Milão, Itália) e desde nova viveu integralmente a fé e a educação cristã que seus pais lhe deram. Optou por cursar medicina na Universidade de Pavia, onde dedicou-se aos estudos com empenho e via sua profissão como um compromisso generoso de apostolado. Formou-se em 1949 e em seus atendimentos demonstrava afeto e caridade para com todos, em especial para com as mães, as crianças, os idosos e os pobres.

Como desde nova aprendeu a confiar na Providência Divina, encontrou na oração um meio para descobrir a sua vocação. Percebeu logo o que Deus queria dela e abraçou com entusiasmo a vocação do matrimônio, desejando, como ela mesmo disse, “formar uma família realmente cristã”. Casou-se com o engenheiro Pietro Molla em 24 de setembro de 1955, na basílica de São Martinho, em Magenta. Em novembro de 1956, dá à luz ao seu primeiro filho, Pedro Luís; em dezembro de 1957, nasce sua filha Mariolina e, em julho de 1959, Laura.

 

Suas principais virtudes

Gianna sabia muito bem conciliar sua vida matrimonial com sua vida espiritual, pois entendia claramente que suas obrigações de mãe e esposa eram agradáveis a Deus e via no cumprimento dos deveres do lar sua forma de oração. 

Nas palavras de seu marido Pietro: “Gianna era uma mulher esplêndida, mas absolutamente normal. Era bonita, inteligente. Gostava muito de sorrir. Era uma mulher moderna, elegante. Dirigia, amava a montanha e esquiava muito bem. Amava as flores e a música. Gostava muito de viajar. Uma mulher como tantas outras, mas com alguma coisa a mais: uma grande piedade e uma indiscutível confiança na Providência. Esta confiança ela nunca a abandonou, nem mesmo nos seus últimos meses de vida.”

 

A Glória de Santa Gianna

Em setembro de 1961, quando contava 2 meses de gravidez de seu quarto filho, Gianna descobre que tem um fibroma no útero. Antes de ser operada, mesmo ciente do grave perigo que corria ao prosseguir com a gravidez, suplica ao cirurgião que salve a vida da criança e se entrega com confiança à Providência Divina. A cirurgia foi um sucesso e Gianna consegue levar a gravidez até o fim e em 21 de abril de 1962, nasce Joana Manuela.

Infelizmente Santa Gianna teve muitas complicações durante o parto e lutou por uma semana para sobreviver, porém, na manhã de 28 de abril de 1962, em meio muitas dores e após ter repetido diversas vezes a jaculatória “Jesus, eu te amo, eu te amo”, Gianna morre santamente, com 39 anos.

 

Exemplo de vida 

Santa Gianna foi um exemplo de como a vida ordinária pode ser sobrenatural, sem que para isso seja preciso renunciar às obrigações de mãe e de dona de casa. Em meio a noites sem dormir, preocupação com a saúde dos filhos, vida atarefada pelos afazeres domésticos, Gianna nunca perdeu de vista o que mais lhe valia e mesmo com uma gravidez de risco, optou pela vida ao preterir a sua própria em face da vida de sua filha, ou como bem disse o Papa Paulo VI, “uma jovem mãe que, para dar a vida à sua filha, sacrificava, com imolação meditada, a própria.”

Gianna Beretta Molla foi beatificada por João Paulo II no dia 24 de abril de 1994, Ano Internacional da Família e canonizada em 16 de abril de 2004.

 

Ação Concreta de Santa Gianna para você! 

Com sua vida, esta grande santa vem nos recordar o quão incondicional é o amor de uma mãe por seus filhos e é verdade que nada que façamos será capaz de retribuir tanto amor que nossas mães nos deram, mas ao mesmo tempo, gestos de carinho são sempre importantes e nada melhor que manifestar nossa gratidão com presentes. 

E nós vamos te ajudar a tornar esse presente muito especial! Neste mês mariano, nossa caixinha de presente e as medalhas marianas estão com 50% de desconto! Não perca a oportunidade de dar algo com significado e que possa realmente fazer a diferença para a alma da sua mãe!

Compre Agora

"A paciência é o baluarte da alma, ela a fortifica e defende de toda perturbação."

Santo Antônio